vem logo, me dê a mão!
me ajuda, me dê a mão!
não sou de pedir, mas realmente preciso,
não só sua mão, mas coração, pulmão, perdão...
quero gritar, me falta ar,
quero chorar, as lágrimas estão secas,
quero ir, me encontro preso.
quero amar, digo, estou amando!

Um comentário:

Maria Luiza disse...

Parabéns pelo poema!
eu agora tava me lembrando de um conto queeu fiz inclusive que você até comentou nele, do qual eu citava dos dois seres encantados da minha vida, dois escritores reais na minha vida, e agora lendo você e lendo em mim tudo que você é e representa, eu vi que esse numero de seres encantados de escritores em minha vida aumentou desde o dia que te conheci.