distante


Diante dos teus olhos,
Nada me faz contente,
Quero, preso nesta corrente,
Preciso ter coragem, esperar.

Diante do seu coração,
Rio um riso desesperado,
Busco fugas, medos... escuro,
Escondo-me de mim, não posso tocar.

Diante de tua alma,
Rastejo pelo inconsciente,
Me torno inconseqüente,
Vivo esperanças... esperar!

Um comentário:

Maria Luiza disse...

Américo na aria! Mal sinal pro Pedro. Bom sinal pra poesia. É ruim sofrer, dói ficar triste. Então quando nos transformamos o que sentimos em poesia, damos magica ao sentimentos, deixando o feio bonito. No caso da sua poesia amor... é deixar o sentimento ruim virar uma Linda poesia. Te amo! ah o Americo também.